segunda-feira, 31 de julho de 2017

Viajei com: Bidu - Caminhos


Tudo bem??? No post de hoje irei comentar com vocês sobre o mega fofo Bidu – Caminhos.


Essa é uma das HQs da Grafic MSP, e foi criada por Eduardo Damasceno e Luis Felipe Garrocho.



É muito legal a paleta de cores utilizada – tons mais frios, tristes – que combina muito com a história. Aqui temos a história de Bidu como cachorro de rua e como ele Franjinha se encontram.
É interessante também a forma que eles encontraram para expor os sentimentos e ideias do Bidu e sua turma.




É um livro super fofo e triste, dá muita pena do Bidu. Quero muito ler o próximo, que é Bidu – Juntos. Então é isso, espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

TBR de Agosto


No post de hoje irei mostrar minha TBR para o mês de Agosto. Caso queira comprar alguns dos livros mencionados basta usar o link, e ajudar o blog.

Para o meu desafio de Agosto do Desafio Literário do grupo Devoradores de Livros irei ler o livro Contos de Fadas, uma coletânea com 20 contos de fadas de vários autores, como  Charles Perrault, Jeane-Marie Leprince de Beaumont, irmãos Grimm, Hans Andersen, Joseph Jacobs.




Para acompanhar a leitura dos contos de fadas irei ler também O Lado Sombrio dos Contos de Fada, que como o titulo diz vai apresentar a origens sombrias de vários contos de fadas. E pretendo fazer um post para cada capítulo, são nove ao todo.




Para o projeto Estudante em Hogwarts do canal Leitura e Mania da querida Priscila Mantovani irei reler Harry Potter e o Enigma do Príncipe. Pretendo fazer post comentando alguns detalhes de cada um dos livros da série.




E pretendo reler Frankenstein para uma leitura em conjuntos com os meus alunos de 8º Ano. Eu já li esse livro, há post aqui no blog – link.





Espero que tenham gostado e me contem o que vocês pretendem ler em agosto aqui nos comentários. Beijos e até a próxima.

quarta-feira, 26 de julho de 2017

TOP 5 - Livros para ler em um dia


No post de hoje irei fazer o TOP 5 de livros para serem lidos em 1 dia. Claro que isso irá depender do andamento da leitura durante o dia, em uma viagem de ônibus, por exemplo, onde a leitura, pelo menos para mim, rende muito.
Procurei deixar de lado livros infantis, que são na maioria das vezes curtos. Também não coloquei HQs e mangás, pois são leituras extremamente rápidas, tanto pela quantidade de páginas, como por serem leituras prazerosas.
Caso queira comprar qualquer um dos livros mencionados é comprar por esse link, e ajudar o blog. Mas chega de conversa e vamos à lista:

1. As vantagens de ser invisível – Stephen Chbosky



O livro é TODO narrado em cartas, que são escritas por rapaz de 15 anos, que se denomina Charlie, ele mora com os pais e os irmãos, sendo ele o filho mais novo. As cartas são para alguém que ele conhece apenas de nome, que não nós é revelado, e essa pessoa não sabe quem é ele realmente. Em momento algum nós descobrimos para quem são essas cartas, nem ao menos se é para um homem ou para uma mulher, pois ele sempre começa por “Dear friend”, já que em inglês não há distinção de gênero na grafia da palavra AMIGO. Então de certa forma as cartas são endereçadas a nós, leitores.
As cartas são enviadas durante um ano, entre 1991 e 1992. Durante suas cartas Charlie nos conta sobre sua introversão, a descoberta da sexualidade, relacionamento com a família, o uso de drogas e outros assuntos comuns na adolescência. Durante o livro Charlie sempre menciona os livros que está lendo, que são indicações de seu amigo e professor de inglês, que o incentiva a escrever e a desenvolver a analise. O que para nos que amamos livros é sensacional.
O irmão de Charlie está indo para a faculdade e sua irmã está no último ano e ele está com medo do ensino médio, pois sempre foi um garoto introvertido, além disso, Charlie apresenta alguma patologia psiquiátrica, não sabemos ao certo o que, mas ele precisou ficar internado quando criança e teme constantemente uma recaída, apesar de ser um rapaz muito inteligente e conseguir ótimas notas.
O livro trás vários questionamentos, como: até que ponto a amizade influência no comportamento de uma pessoa, ou é o nosso comportamento que nos leva a ter determinadas amizades? Qual o limite para os cuidados paternos, sem sufocar a personalidade dos filhos? E quando esse filho necessidade de um acompanhamento a mais??? Embora esses questionamentos não apareçam diretamente no livro, eles aparecem durante a leitura.


2. O Caso dos Dez Negrinhos/ E não sobrou nenhum – Agatha Christie



Não podia faltar um romance policial, que são leituras em geral rápidas. E escolhi o livro que considero como o melhor da Rainha do Crime – Agatha Christie.
Oito pessoas são convidadas a irem para a Ilha do Soldado (no original Ilha do Negro), por uma pessoa misteriosa que aparentemente as conhece, mas elas não conseguem se lembrar direito dessa pessoa, cada pessoa é convidada sobre um pretexto diferente. Os convidados são:

- Juiz Wargrave                   - Vera Claythorne
- Philip Lombard                 - Emily Brent
- General Macarthur          - Dr. Armstrong
- Antony Marston               - Sr. Blore

Atendendo ao convite do misterioso anfitrião, todos comparecem ao local no dia e hora marcado. Ao chegarem na ilha eles descobrem que seus anfitriões não se encontram e são recebidos pelo casal de empregados recém-contratados, o Sr. e Sra. Rogers, totalizando 10 pessoas na ilha.
Os primeiros momentos na ilha decorrem maravilhosamente até o fim do jantar, quando a Sra. Rogers está servindo o café, uma voz – que ninguém conhece e nem sabe de onde vem – começa a acusar um a um, quando as acusações terminam todos tentam se justificar, mas até o momento tudo bem, são apenas acusações, mas a situação se torna tensa quando um dos convidados cai morto envenenado.
A cada morte o medo e o terror aumentam, atingindo seu ápice quando eles descobrem que não há mais ninguém, além deles ali, ou seja, o assassino só pode ser um deles e que eles estão isolados na ilha. Fica a dica de um livro com um final incrível e surpreendente.


3. A revolução dos bichos – George Orwell



A revolução dos bichos combina brilhantemente duas ricas tradições literárias: a das fábulas morais e a da sátira política. Cansados de serem explorados e negligenciados por Jones, o dono da Granja do Solar, os animais da granja, liderado pelos porcos, fazem uma revolução e expulsam os humanos do local. Após conseguirem tomar a granja os animais tentam criar uma sociedade utópica. A princípio essa sociedade seria regida por 7 leis básicas, para uma melhor convivência:

1. Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo.
2. Qualquer coisa que ande sobre quatro patas, ou tenha asas, é amigo.
3. Nenhum animal usará roupas.
4. Nenhum animal dormirá em cama.
5. Nenhum animal beberá álcool.
6. Nenhum animal matará outro animal.
7. Todos os animais são iguais.

Mas a situação não sai bem como o planejado. Os porcos, os animais mais inteligentes da fazenda, acabam assumindo o controle. A revolução que começou com 7 mandamentos, acaba com um: “Todos os animais são iguais, MAS ALGUNS SÃO MAIS IGUAIS QUE OS OUTROS”.
Esse livro me lembrou MUITO o final de A Esperança, terceiro livro da trilogia Jogos Vorazes, toda a revolução e os acontecimentos finais. Me lembrou também uma fábula chamada Ratolândia que está disponível no Youtube, de uma conferida, vale muito a pena.


4. Belleville – Felipe Colbert



Lucius se muda para Campos de Jordão para cursar faculdade, e consegue alugar um casarão por um preço muito em conta, pois a casa esta abandonada há anos.
Para supresa de Lucius ele encontra uma caixa enterrada no quintal. Sem conseguir explicar o que está acontecendo, Lucius inicia uma intensa troca de correspondência com a antiga moradora da casa para onde se mudou através dessa caixa.
Uma relação que começa com desconfiança, passa pelo carinho e evolui para uma irresistível paixão – e para um pedido de socorro. Lucius não poupa esforços para ajudar Anabelle a realizar o grande sonho do seu falecido pai – montar uma montanha-russa nos fundos da casa, além de tentar ajudar a moça a enfrentar alguns problemas muito difíceis, entre eles resistir à violência do seu tio Lino.
O livro é narrado em primeira pessoa, e a narração é intercalado entre Lucius e Anabelle, o que me agradou muito, e o interessante é que no começo do capítulo não há indicação de quem está narrando, mas logo no primeiro parágrafo você já percebe quem está narrado.
Alguns pontos da história me lembram do enredo do filme A Casa do Lago com Keanu Reeves e a Sandra Bullock, mas o Felipe conseguiu dar uma roupagem nova e original a história e o autor consegue te convencer de que aquilo é possível, de que realmente está acontecendo.


5. Os dois mundos de Astrid Jones – A. S. King



O livro é narrado em primeira pessoa, quase totalmente, por Astrid Jones, uma jovem estudante do último ano do Ensino Médio. Astrid tem um relacionamento conturbado com a mãe, que a maior parte do tempo a ignora. O pai é uma pessoa sem muita ambição, para desgosto da mãe da Astrid, e que possui seus próprios problemas. A irmã dela, de quem já foi próxima, tenta ter um bom relacionamento com a mãe, ser popular na escola, e se afastou e não conversa muito com ela. Em resumo: a família dela é estranha.
Astrid, não tem um bom relacionamento familiar, nem amoroso, não é popular na escola, e possui poucos amigos. Uma forma que encontra para compartilhar algo com alguém é enviar seu amor para os passageiros dos aviões que sobrevoam sua cidade.
O interessante nesse livro é que há alguns detalhes da vida de alguns passageiros, para quem Astrid envia amor, e vemos essa conexão entre as histórias. Nos mostra que outras pessoas, enfrentam os mesmo problemas que nós, e que existe formas diferentes de encaramos as mesmas situações.
A evolução da Astrid como pessoa, sua aceitação, seu posicionamento... Foi SENSACIONAL, e não digo apenas com relação a sua homossexualidade, mas com relação a tudo. É melhor livro que já li??? NO, mas é um livro muito bom, que trás várias reflexões.

Então é isso. Espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima. 

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Viajei com: O Conde de Monte Cristo - Alexandre Dumas


Tudo bem com vocês??? No post de hoje irei comentar sobre o incrível O Conde de Monte Cristo de Alexandre Dumas. A obra foi publicada originalmente em formato de folhetim, começou a ser publicada em 1844 e foi concluída em 1846. O que justifica alguns fatos dentro da obra.
Como estava planejando ler esse livro este ano resolvi fazer um projeto de leitura em conjunto. Começamos a leitura no final de Abril e concluímos na segunda semana de Julho e simplesmente AMEI esse livro.


O livro conta a historia do jovem Edmond Dantès, que é marinheiro no navio Pharon, do armador Pierre Morrel. Durante a viagem o capitão falece, mas antes ele pede a Dantès levar uma encomenda a Elba, onde está exilado Napoleão, que lhe entrega uma carta para ser entregue a um conhecido em Marselha, fato testemunhado por Danglars, contador do navio e desafeto de Edmond.
Depois de uma longa viagem, Edmond está ansioso por ver o pai e a noiva, a catalã Mercedes.  Após uma breve visita ao pai, Edmond vai visitar a noiva. Como ele será promovido, decide marcar o casamento o mais rápido possível.
Mas Danglars trama contra Edmond, juntamente com Fernand, primo de Mercedes e que é apaixonado por ela. Danglars escreve uma denúncia acusando Dantès de bonapartimos, denúncia essa entrega ao magistrado da cidade por Fernand, tudo de forma anônima.
Edmond é preso no almoço em comemoração a assinatura do contrato de casamento, que aconteceria logo em seguida. Dantès é tido como inocente pelo magistrado, mas quando menciona quem receberia a carta é encaminhado para a prisão – quem receberia a carta era o pai do magistrado.
Dantès passa anos na prisão, onde conhece o abade Faria, que ensina a ele tudo que sabe. Edmond consegue escapar e busca se vingar de todos que o traiu.
O livro é um senhor tratado sobre vingança. Edmond é uma pessoa muito astuta, ele consegue manipular as pessoas a sua volta e ao mesmo tempo em que consegue tirar o corpo fora. A forma como consegue seus objetivos é bem engenhosa, além disso, as análises filosóficas que Dantès apresenta são sensacionais.
Algo que me chamou a atenção foi que não há personagem de enfeite (e olha que há MUITOS personagens), nem trama para ocupar espaço (e o livro é bem grandinho, cerca de 1600 páginas), tudo é justificado e tem um por que.

Então é isso, espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Projeto de Leitura em Conjunto - O Conde de Monte Cristo #13


Tudo bem com vocês??? No post de hoje irei comentar sobre as adaptações do incrível O Conde de Monte Cristo de Alexandre Dumas.


Eu assisti as três adaptações da obra para filme (1934, 1975 e 2002) e uma minissérie francesa (1998).
A adaptação de 1934 eu achei MUITO corrida, e interpretações bem caricatas. Não sei se é o etilo de filme da época, mas não me agradou.
Ambas adaptações apresentam várias mudanças em relação a história e ao destinos de alguns personagens. Muitos personagens e passagens são suprimidas, o que é compreensível levando se em conta a extensão da obra e a quantidade de personagens e tramas secundárias. Sendo a minissérie a que apresenta mais detalhes da obra, pois é dividida em quatro episódios de 100 minutos cada.
A minha preferida continua sendo a de 2002, com Jim Cavizel, que foi a primeira que eu assisti já há algum tempo, e foi através dela que conheci a historia. Embora seja a adaptação que apresente mais diferenças da obra literária, continuo gostando muito dessa adaptação.

Então é isso, espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

TAG: A Bela e a Fera


No post de hoje irei responder a TAG: A Bela e Fera, que vi no canal da Barbara, Segredos entre Amigas, e foi criada pela Mel. A Bela e a Fera é meu conto de fadas preferido, e quando vi essa TAG achei muito legal e decidi responder. Vamos às perguntas:

1. Bela: um livro com a capa e com a história bonita



Acho muito bonita essa capa, e a história é muito legal. O livro é narrado em primeira pessoa, quase totalmente, por Astrid Jones, uma jovem estudante do último ano do Ensino Médio. Astrid tem um relacionamento conturbado com a mãe, que a maior parte do tempo a ignora. O pai é uma pessoa sem muita ambição, para desgosto da mãe da Astrid, e que possui seus próprio problemas. A irmã dela, de quem já foi próxima, tenta ter um bom relacionamento com a mãe, ser popular na escola, e se afastou e não conversa muito com ela. Em resumo: a família dela é estranha. Mas esse livro trás varias reflexões sobre relacionamento familiar, amoroso, de amizade, aceitação... Vale muito a pena. E já tem post aqui no blog: LINK.


2. Fera: um livro com a capa feia, mas com a história legal



Esse livro merece uma edição bonitona, essa historia é sensacional. O livro foi escrito em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945, e faz claras referências a história da União Soviética, a Stálin, Trotsky, e os eventos políticos – expurgos, instituição de um estado policial, deturpação tendenciosa da História – trás na forma de uma fábula os que estavam em curso na União Soviética. Mais de sessenta anos depois de escrita, a obra continua atual, com sua alegoria sobre as fraquezas e a corrupção humana. E já tem post aqui no blog: LINK.


3. Lumiére: um livro que acendeu algo dentro de você



Não me canso de falar desse livro aqui no blog, ele é simplesmente sensacional. Uma pena que a edição física dele está esgotada.
A história gira em torno do desaparecimento de Park So-nyo, 69 anos, mãe de 4 filhos e o esposo moravam na aldeia onde ele cresceu. E fazia tempos que os filhos não iam até a aldeia. Pensando que era um fardo fazer duas comemorações, com dois rituais ancestrais próximos, Park So-nyo sugeriu que se reunissem apenas no aniversário do marido, um mês antes do seu.
Ao chegar a Seul para visitar os filhos e comemorar o aniversário dos dois, ela acaba se perdendo no marido em meio à multidão na plataforma da estação de metrô. O marido, que sempre andou na sua frente, durante os mais de 50 anos de casamento, simplesmente supôs que a esposa o seguia, sendo essa é a última vez em que Park é vista.
É uma história, triste, pesada e que eu super recomendo. E já tem post aqui no blog: LINK.


4. Horloge: um livro que você devorou sem sentir o tempo passar



Esse é um dos meus preferidos do Dan Brown, depois que li Inferno fiquei na dúvida de qual dos dois eu gostei mais. Infelizmente ele fica esquecido entre Anjos e Demônios e O Código da Vinci. Assim como Fortaleza Digital, ele não é protagonizado por Langdon e não recebeu uma edição ilustrada.

 
Vida extraterrestre e eleições – à primeira vista esses temas não parecem estar ligados de alguma forma, bom, mas Dan Brown conseguiu não só uni-los, como também conseguiu criar uma excelente história.
Reta final das eleições para presidente dos Estados Unidos – de um lado Zachary Herney, atual presidente; do outro o ambicioso senador Sedgwick Sexton.
O senador Sexton consegue uma virada impressionante ao começar a questionar os gastos excessivos da NASA (agência de exploração espacial americana) e suas falhas – que geram milhões em prejuízos.
Receitinha de bolo do Dan: Tudo muda quando a NASA encontra um meteoro enorme com mostra inquestionável de vida extraterrestre. Para que haja dúvida da veracidade do meteoro são chamados quatros renomados cientistas que irão verificar os dados obtidos pela equipe da NASA (Corky Marlinson – astrofísico; Wailee Ming – paleontólogo; Norah Mangor – glaciologista; Michael Tolland – oceanógrafo e apresentador). Também foi chamada para corroborar esses dados Rachel Sexton – que além de analista do NRO (Escritório Nacional de Reconhecimento) é filha do senador Sexton.
Até aí tranquilo... Mas, a situação piora quando surgem indícios de fraude no meteoro e os cientistas começam a ser caçados enquanto tentam descobrir quem está por trás dessa trama, traduzindo: confusão armada. E já tem post aqui no blog: LINK.


5. Maurice: o livro mais velho da sua estante



Esse foi o primeiro livro que comprei, e ele é uma releitura de Dom Casmurro de Machado de Assis, mas narrado em terceira pessoa, enquanto que o original é narrado em primeira. O que achei sensacional.


6. Madame Samovar: um livro que te faz sentir aconchego



Não tem como não citar minha série favorita. Sempre é muito bom voltar a Hogwarts.


7. Zip: um livro narrado por criança



A história é narrada e protagonizada por Kambili, uma adolescente que mora com os pais e o irmão mais velho na Nigéria. Ela é muito apegada aos pais, e tem uma enorme vontade de sempre agrada-los e ser motivo de orgulho, em especial para o pai.
Seu pai, Eugene, famoso e bem sucedido industrial nigeriano, inferniza e destrói lentamente a vida de toda a família com seu extremismo religioso. A questão em si, não é nem a conversão de Eugene ao catolicismo, é o fanatismo religioso que ele vive, a ponto de rejeitar o pai e a irmã, temendo se “contaminar”. Violento e ditador em casa, benfeitor dos pobres e dono do jornal mais progressista do país em frente à sociedade.
É uma história tensa, angustiante, surpreendente e que me pegou de jeito. Já tem post aqui no blog: LINK.


8. Gaston: um livro com a capa bonita, mas que o conteúdo não é tão bom



Gostei muito dessa capa, achei ela muito linda, mas já história me decepcionou. Achei o menino um chato, não consegui me conectar. Já tem post aqui no blog: LINK.


9. Um livro que se passa na França



Acabei de terminar a leitura e simplesmente me apaixonei por esse livro. O post sobre ele está marcado para sair na segunda-feira.
Nessa obra conhecemos Edmond Dantès, um jovem marinheiro, noivo da catalã Mercerdes, a quem pretende desposar em breve. Quando o capitão do navio Pharon falece Dantès é promovido a capitão. Mas toda essa felicidade desperta a inveja de pessoas próximas a ele: Caderousse, que é vizinho do pai de Edmond, inveja a prosperidade de Dantès; Danglars, colega de tripulação, inveja o cargo, já que esperava se promovido a capitão no lugar de Edmond; e Fernand, primo de Mercedes, inveja a mulher, pois é apaixonado pela prima. Junto, os três tramam a prisão de Dantès.
Quando Edmond consegue fugir da prisão, trama sua vingança contra todos os que lhe roubaram tudo o que tinha: a família, emprego e a honra.


10. Um livro que você está ansioso para ser lançado



O novo livro do Dan Brown, não li sinopse, não li nada. Quero pegar esse livro sem conhecer absolutamente nada. Embora pelo título dê para imaginar que ele irá abordar a origem da vida, talvez pelo viés religioso, ou pelo viés da teoria da panspermia. Está previsto para ser lançado em Outubro aqui no Brasil. Não gostei dessa capa, que permaneceu igual a original.


Então é isso, espero que vocês tenham gostado. Beijos e até a próxima. 

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Viajei com: Os Colegas de Anne Frank - Theo Coster #PLM13


No post de hoje irei comentar um pouco sobre o livro Os Colegas de Anne Frank de Theo Coster.



Theo conheceu Anne no Liceu Judaico de Amsterdã. Sendo ele um sobrevivente da perseguição aos judeus, durante a II Guerra Mundial, ele era convidado a relatar suas experiências. A história foi planejada por Theo para se tornar um documentário, mostrando os seus relatos e de outros colegas de classe da época, e posteriormente foi transformada em livro.
Ele conseguiu reunir 5 colegas, sendo um deles Nanette Konig, que passou pelo campo de Bergen-Belsen, e mora em São Paulo atualmente. Nanette é autora do livro Eu Sobrevivi ao Holocausto, que quero muito ler.
No encontro que foi realizado, eles relembraram desde o as restrições impostas aos judeus, ao inicio das perseguições, e as atitudes que alguns pais tomaram para proteger a família, e o que enfrentaram no decorrer da guerra, e suas vidas pós-guerra. Sendo um dos relatos mais tocante com certeza é o de Nanette.


“- Quem passou por um campo conserva algum tipo de trauma. É difícil bloquear essa parte da mente onde estão armazenadas tais lembranças, que volta e meia acabam vindo à tona nos momentos mais bizarros. E a única coisa a fazer é tentar conviver com isso.”

“- Quando a guerra acabou, eu parecia um esqueleto. Os ossos dos quadris quase despontavam sob a pele. Quando fui pesada no sanatório pouco tempo depois de a guerra acabar, estava com 32 quilos, de maneira que antes, no campo, deveria pesar ainda menos. Como se dá com as mulheres desnutridas, também deixei de menstruar. A menstruação é parte integrante do mecanismo de reprodução humano, e nós não estávamos em condições de reproduzir o que quer que fosse. Se não me engano, só voltei a ficar menstruada outra vez aos 17 anos – demorou mais de um ano até que eu estivesse saudável outra vez e alcançasse o peso mínimo para poder conceber. Estou lhe contando esse fato para que você tenha uma ideia do estado em que eu me encontrava.”


Dos colegas que Theo conseguiu reunir, apenas Nanette passou por um campo de concentração, os demais colegas que foram enviados não sobreviveram.

Se você se interessa por esse período da história, esse é um livro que vale a pena. Mas caso você não se interesse, esse não é um livro muito indicado. Eu como me interesso, gostei muito da leitura, de ver esses relatos. Então é isso, espero que vocês tenham gostado, beijos e até a próxima.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Projeto de Leitura em Conjunto - O Conde de Monte Cristo #12


Nessa semana finalizamos a leitura de livro que só posso descrever como maravilhoso.



Albert se alista no exercito, abandona o nome do pai, e adota o do avô paterno. Sua mãe entra para o convento, a fim de se dedicar a buscar a Deus. Confesso que gostaria de saber se Albert consegue concretizar seus planos de fazer carreira e se consegue ser bem sucedido no exercito. Pois é um personagem que me afeiçoei. Pois após sua partida não temos mais noticias dele, e vemos que Dantès também tem afeição ao rapaz, e não lhe quer mal, bem como a sua mãe.
Danglars foge com o dinheiro que deveria ser entregue ao representante do hospício, e deixa uma carta bem ofensiva para sua esposa, que em desespero procura o amante, Debray, que acaba por ficar com grande parte do dinheiro que ela havia guardado do marido.
Villefort passa dias se dedicando ao julgamento de Andrea, pelo assassinato de Caderousse. Na manha do julgamento, antes de ir ao tribunal ele confronta sua esposa, afirmando saber ser ela a assassina que vive em sua casa, mas que não pretende leva-la a julgamento se ela provar do próprio veneno, evitando assim a condenação dos homens e a desonra do nome do marido e do filho. Após esse ultimato ele parte para o tribunal.
Mas durante o julgamento uma grande reviravolta acontece, Bertuccio conta toda a verdade ao rapaz sobre seu pai biológico e os detalhes sobre seu nascimento, que informa a toda corte. A sra. Danglars desmaia e precisa ser socorrida, já Villefort fica de sobremaneira envergonhado, pois sua falta é exposta a toda a sociedade parisiense e abandona o julgamento, que devido as circunstâncias é remarcado e um novo inquérito será instaurado.
Villefort segue apressadamente para casa, a fim de dizer a esposa que a perdoa, que ele também é falho, e que ambos, juntamente com o filho devem ir embora e recomeçar a vida em outro lugar. Mas ao chegar a sua casa, encontra sua esposa em seus últimos momento de agonia, ela havia atendido a ele e ingerido o veneno, e num momento angustiante, ele encontra o filho morto. É nessa hora que Monte lhe revela quem ele é realmente, o desespero de Villefort é tão quem ele enlouquece. Essa é umas das cenas mais impressionantes de todo o livro.
Villefort expia sua culpa, assim como sugere o título do capítulo, através do sofrimento – ele vê seus sogros serem assassinado, julga ter perdido a filha, perde o filho e a mulher, bem como todo o prestigio social.
Dantès após ver esse espetáculo acaba sentindo remorsos, do que fez. Pois ele considera que Villefort teve uma punição muito severa. Mas após conversar com Mercedes, ele entende que tudo foi por permissão de Deus e segue com sua vingança, pois ainda falta Danglars, que rouba o dinheiro que deveria ser entregue ao hospício, e foge para Roma, onde é capturado pelo bando de Luigi Vampa. Danglars é “depenado” financeiramente a mando de Dantès, ficando com apenas um pouco do dinheiro roubado, dinheiro esse que fora devolvido ao hospício por intermédio de Dantès. Após lhe revelar que é, e o motivo de sua vingança ficar claro para o banqueiro, Dantès o perdoa e o liberta. Danglàrs é outro personagem que eu gostaria de saber mais sobre seu destino, o que lhe aconteceu após sair de Roma.
Sendo assim a vingança de Dantès está realizada:

·       Fernand denunciou Edmond, instigado por Danglars, por amor de Mercedes, e por inveja do sucesso financeiro de Dantès. Acabou sem a mulher, sem o filho e sem a honra – em desespero se suicidou.

·       Villefort enviou Edmond para a prisão, mesmo sabendo da inocência, para salvar a honra de sua família. Sua mulher, instigada por Dantès, se torna uma assassina, matando os sogros de Villefort, um empregado e o próprio filho, tentou matar o pai de Villefort e a filha do primeiro casamento, e comete suicídio. Villefort tem sua honra destruída quando é revelado que teve um filho ilegítimo com a sra. Danglars, que foi abandonado, tornando-se um criminoso. Creio que o castigo mais pesado caiu sobre Villefort, que após ver sua família e sua carreira em ruinas, acaba enlouquecendo.

·       Danglars, que arquitetou toda a conspiração contra Edmond, instigando a Fernand a executa-la, a fez por inveja do e por inveja do sucesso financeiro de Dantès. Danglars se torna banqueiro, mas devido a vários negócios ruins, arquitetado por Dantès, acaba perdendo sua fortuna, e a família. Creio que ele, devido a participação que teve em toda a conspiração, seja o que menos fora castigado por Edmond.

·       Caderousse, que embora sabendo de toda a trama, omitira-se, recebe de Dantès uma oportunidade de melhorar sua situação financeira, mas devida a ambição acaba por se tornar um assassino e ladrão. Sendo assassinado por seu comparsa, Benedetto.

Após concluir sua vingaça, Dantès vai embora de Paris, e como havia prometido se encontra com Maximilien na ilha de Monte Cristo. E lá após uma cena bem teatral, ele revela que Valentine está viva, e conta toda a verdade. Haydeé revela seus sentimentos por Dantès, que acaba aceitando a oportunidade de amar e se amado que a vida lhe oferece. Dantès deixa parte de sua fortuna a Maximilien e outra a Valentine, e parte com Haydeé. E assim termina esse livro SENSASIONAL.

Nessa próxima semana estarei assistindo as adaptações que consegui encontrar. Entao é isso, espero que vocês tenham gostado da leitura desse livro, assim como eu gostei, deixem seus comentários sobre a obra. Beijos e até a próxima.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Leituras de Junho


No post de hoje irei mostrar minhas leituras do mês de Junho. Como já havia dito no post anterior: o canal ficará um pouco encostado, pois minha casa está em construção e há muito barulho, meus livros estão todos encaixotados dentro do meu guarda-roupa para não sujarem, sendo assim ficará quase impossível gravar. Mas logo que terminar irei voltar a gravar. Dado o aviso, vamos às leituras.
No mês de Junho fiz a leitura do clássico Crime e castigo de Fiódor Dostoiévski para o meu Desafio Literário do grupo Devoradores de Livro. Neste livro, Raskólnikov, um jovem estudante, pobre e desesperado, perambula pelas ruas de São Petersburgo até cometer um crime que tentará justificar por uma teoria: grandes homens, como César ou Napoleão, foram assassinos absolvidos pela História. Este ato desencadeia uma narrativa labiríntica que arrasta o leitor por becos, tabernas e pequenos cômodos, povoados de personagens que lutam para preservar sua dignidade contra as várias formas da tirania. Achei a história bem arrastada, até claustrofóbica, talvez tenha sido essa a intenção do autor.
Pretendo rele-lo na edição da Editora 34, que foi traduzido diretamente do russo, já que a edição que eu li é traduzida do francês. Já tem post aqui no blog: LINK.




Para o projeto Estudando em Hogwarts, do canal Leitura Mania da querida Priscila, eu reli Harry Potter e o Cálice de Fogo da J. K. Rowling. Estou aproveitando essa releitura para fazer algumas anotações para uma série de post que pretendo fazer aqui para o blog referente a Harry Potter. Já tem post sobre esse livro aqui no blog: LINK.




E li também Sherlock – Um Estudo em Rosa, que ficou SENSACIONAL, gosto muito dessa série, embora os últimos episódios tenham deixado a desejar, mas o começo dela foi INCRÍVEL, quero muito comprar o segundo volume, que é a adaptação do segundo episódio da primeira temporada, O Banqueiro Cego.





Essas foram minhas leituras no mês de Junho, espero consegui ler mais nesse mês de Julho, pois estarei de férias por duas semanas. Espero que vocês tenham gostado, beijos e até a próxima.