segunda-feira, 30 de março de 2015

Viajei com: E Não Sobrou Nenhum (O Caso dos Dez Negrinhos) - Agatha Christie PAC #1

CAPAS ANTIGAS






CAPAS NOVAS - Globo Livros















Autora: Agatha Christie, ou como é conhecida A Rainha do Crime DIVA.

Título: Ten Little Niggers - Reino Unido
 And Then There Were None - Estados Unidos
 O Caso dos Dez Negrinhos – Brasil


O título foi alterado, pois a palavras “Niggers” – negrinhos, causou polêmica pela conotação racista, e hoje o livro é publicado como And Then There Were None ou E Não Sobrou Nenhum.

EU AO TERMINAR O LIVRO


Bom, essa é a minha reação mais comum ao terminar um livro da Rainha do Crime, mas nesse a reação foi mais intensa e duradora, com isso “E Não Sobrou Nenhum” se tornou de longe a minha obra preferida da Agatha.


VAMOS A OBRA

Oito pessoas são convidadas a irem para a Ilha do Soldado (no original Ilha do Negro), por uma pessoa misteriosa que aparentemente as conhece, cada uma sobre um pretexto diferente. Os convidados são:

- Juiz Wargrave                                  - Vera Claythorne
- Philip Lombard                                - Emily Brent
- General Macarthur              - Dr. Armstrong
- Antony Marston                   - Sr. Blore

Atendendo ao convite do misterioso anfitrião, todos comparecem ao local no dia e hora marcado. Ao chegarem na ilha eles descobrem que seus anfitriões não se encontram e os convidados são recebidos pelo casal de empregados recém-contratados, o Sr. e Sra. Rogers, totalizando 10 pessoas na ilha.
Os primeiros momentos na ilha decorrem maravilhosamente até o fim do jantar, quando a Sra. Rogers está servindo o café, uma voz – que ninguém conhece e nem sabe de onde vem – começa a acusar um a um, quando as acusações terminam todos tentam se justificar, mas até o momento tudo bem, são apenas acusações, a situação se torna tensa quando um dos convidados cai morto envenenado. O mais assustador é que as mortes seguem o poema infantil que é encontrado em cada um dos quartos:


Dez soldadinhos saem para jantar, a fome os move;
Um deles se engasgou e então sobraram nove.

Nove soldadinhos acordados até tarde, mas nenhum está afoito!
Um deles dormiu demais, e então sobraram oito.

Oito soldadinhos vão a Devon passear e comprar chiclete;
Um não quis mais voltar, e então sobraram sete.

Sete soldadinhos vão rachar lenha, mas eis
Que um deles cortou-se ao meio, e então sobraram seis.

Seis soldadinhos com a colmeia brincando com afinco;
A abelha pica um, e então sobraram cinco.

Cinco soldadinhos vão ao tribunal, ver e julgar o fato;
Um ficou em apuros, e então sobraram quatro.

Quatro soldadinhos vão ao mar; um não teve vez
Foi engolido pelo arenque defumado, e então sobraram três.

Três soldadinhos passeando no zoo, vendo leões e bois.
O urso abraçou um, e então sobraram dois.

Dois soldadinhos brincando ao sol, sem medo algum;
Um deles se queimou, e então sobrou só um.

Um soldadinho fica sozinho, só resta um;
Ele então se enforcou, e não sobrou nenhum.

A cada morte o medo e o terror aumentam, atingindo seu ápice quando eles descobrem que não há mais ninguém, além deles ali, ou seja, o assassino só pode ser um deles e que eles estão isolados na ilha. Mortes inexplicáveis então se sucedem. E a cada convidado eliminado, também desaparece um dos soldadinhos que enfeitam a mesa de jantar. Quem poderia saber dos dez crimes distintos? Quem se arvoraria em seu juiz e carrasco? Como escapar da próxima execução?
Fica a dica de um livro com um final incrível e surpreendente, e que é considerado pela maioria dos fãs da autora como uns dos melhores, senão o melhor livro dela.

Com a mudança de título, o poema também foi adaptado, o poema apresentado é o da edição da Globo Livros.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Projeto 52 x 5 #13 - Fico sem graça quando...

Olá... Hoje teremos o TOP 5 da 13º Semana do Projeto 52 x 5, e a categoria da semana é:



1°: Quando alguém faz alguma brincadeira comigo, a brincadeira a que me refiro é aquela de mal gosto, cuja a graça se baseia  na depreciação do alvo (no caso – EU)...

2°: Quando caiu, com todo mundo olhando...

3º: Quando me cumprimentam e não sei quem é...  sem comentários.

4º: Quando tenho de falar em público, e olha que sou professora e tenho de fazer isso diariamente...

5º: Quando tenho de falar com alguém que não conheço ou conheço pouco, pode parecer que sou metida, esnobe, mas é só timidez mesmo, o que tem melhorado com a criação e envolvimento no blog.


Espero que tenham gostado. Beijos e até a próxima.

quarta-feira, 25 de março de 2015

TAG: Muitas Informações Literárias - Parte 1

Olá... Hoje irei responder a uma TAG que vi nos canais da Mari Reads e da Vevs Valadares, a TAG se chama “Muitas Informações Literárias”. Como são muitas perguntas, 50 para ser mais exata, irei responder em 2 post.

1) Qual personagem tem o melhor estilo para roupas?

Ainda não li o livro, mas pelo filme: Miranda Priestly de O Diabo Veste Prada.



2) Seu/Sua crush literária?

Nunca tive nenhuma paixonite por nenhum personagem, embora goste muito do Lupin, Dedo Empoeirado e do Finnick Odair...


3) Já amou um personagem e depois passou a odia-lo?

Não que eu me lembre.


4) Maior livro da sua estante?

Em número de paginas: Os Miseráveis (quase 2000).




5) Livro mais pesado da sua estante? 



6) Você tem algum pôster de livros?

Não. Nenhum...


7) Você tem alguma joia com tema de livros?

Tenho: 3 vira-tempos (a história é longa), 2 colar das Relíquias da Morte, 1 colar do pomo de ouro, 1 Medalhão de Salazar Sonserina, broches das casas e do brasão de Hogwarts, broche do tordo – Jogos Vorazes e A Esperança (comprei de Em Chamas, mas ainda não chegou).











8) OTP (One True Pairing) – Casal mais verdadeiro?

Parando para responder essa pergunta cheguei a conclusão que preciso ler mais livro romântico... o casal que escolhi creio que esse ninguém citaria, mas quando li gostei muito de como ele foram retratados: Augusto e Carolina, de A Moreninha.


9) Série favorita?

Série literária: HP... Mundo de Tinta (que é na verdade uma trilogia).


10) Trilha sonora de adaptação literária favorita?

The Hunger Games – Suzanne Collins (as adaptações estão MA-RA-VI-LHO-SAS).


11) Um livro que você tem saudade/gostaria que tivesse continuação?

Vou roubar a resposta da Mari: Mundo de Tinta – Cornelia Funke, embora seja uma trilogia, e tenha um spin-off, gosto mundo do clima do livro, da história... Dedo Empoeirado...


12) Stand-alone favorito?

O Conde de Monte Cristo – Alexandre Dumas... MUITO BOM.


13) Desde quando você lê livros?

Desde que fui alfabetizada. Mas há uns três anos que estou lendo com muito mais frequência, pois tenho como comprar meus próprios livros.


14) A qual casa de Hogwarts você pertence?




15) Qualidade que você procura em um livro?

Bom enredo, bons personagens, uma boa escrita...


16) Quote favorito?
  



17) Autor preferido?

Deem  uma olhada nesse post falo dos autores favoritos.


18) Capa preferida?

 Muito difícil escolher, nesse post mostro as mais bonitas.

19) Ação ou Romance?

Romance policial.


20) Para onde você vai quando um cena triste acontece?

Lugar nenhum. Se não der para chorar, dou uma pausa na leitura, respiro fundo.


21) Quanto tempo você precisa para terminar um livro?

Depende: do tempo disponível para leitura, da escrita do livro, do tamanho do livro.


22) Por quanto tempo é o seu período de luto por um personagem?

A morte de alguns ainda não superei... Segura o spoiler...


23) Livro menos favorito?

Da minha estante: Clara dos Anjos – Lima Barreto.


24) O que você gosta em um personagem?

Inteligência e sagacidade – Sherlock, Poirot e Hermione que o digam.


25) O que você NÃO gosta em um personagem?



MIMIMIMIMI... BORING


Espero que tenham gostado... E continuamos na semana que vem... Caso queira comprar alguns dos livros, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional. Beijos e até a próxima.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Viajei com: Os Miseráveis - Victor Hugo PLM #2

Olá... O post de hoje é para falar sobre o incrível livro lido para representar a França no Projeto Lendo o Mundo, que foi Os Miseráveis de Victor Hugo. Fiquei com muita vontade, mais muita vontade mesmo, de ler esse livro após ver os vídeos da Vevs Valadares e Tatiana Feltrin falando sobre ele, super recomendo os vídeos.


A obra foi publicada em 1862, simultaneamente em 8 cidades (Budapeste, Bruxelas, Leipzig, Milão, Paris, Rio de Janeiro, Roterdã e Varsóvia), e na edição de bolso (SQÑ) da Cosac Naify possui 1976 páginas, tendo uma introdução e um retrato histórico da obra (publicação, estudos, adaptações, citações) no final do livro, sendo um grande best-seller na época.
A história se passa entre a Batalha de Warteloo (1815) e os Motins de Julho (1832), sendo dividida em 5 volume (Fantine; Cosette; Marius; Idílio da Rue Plumet e a Epopeia da Rue Saint-Denis e Jean Valjean), que são divididos em capítulos.
Como já havia dito: em certos momentos o livro mais parece uma lista telefônica do que um romance, de tanto personagens que surgem, e achei difícil de acompanhar, mas depois acabei me acostumando, e há personagens que mudam mais de nome do que a Beyonce muda de roupa no show... mas como já disse dá para se acostumar.
O que me chamou a atenção é a teia de histórias que o autor construiu: pois de certa forma todas as histórias dos diversos personagens, estão interligadas (mesmo que às vezes eles não saibam), e com isso não há um único protagonista, mas sim, vários protagonistas, incluído o próprio narrador, que sabe tudo e dá seus palpites em vários momentos.
Em meio a tantos personagens, que não são de um todo coadjuvante, pois em alguns momentos são o foco da narrativa, mas que não são de um todo protagonista, fica difícil apontar um protagonista, mas se fosse para escolher um protagonista, eu concordo com a Vevs, e escolheria Jean Valjean, pois de todos, ele é o que mais é mencionado.
Jean Valjean, é um grilheta, um forçado (condenado a trabalhos forçados nas galés por 19 anos – 5 anos por ter roubado pão para alimentar os sobrinhos, e 14 anos pelas tentativas de fugas), que ao ganhar a suposta liberdade, se vê abandonado e rejeitado por todos, encontra-se numa situação lastimável, até ser acolhido por Dom Bievenu, encontro esse que mudaria sua vida completamente.
Charles Myriel ou Dom Bienvenu, como era chamado o bispo de Digne, é um homem muito simples e caridoso – nele Victor Hugo retratou todo comportamento de um autêntico cristão que vive uma vida baseada no evangelho, devo confessar que esse personagem me despertou muita simpatia, embora eu não seja nem de longe tão virtuosa. Através do comportamento de D. Bievenu e de alguns comentários feitos pelo narrador, Victor Hugo critica a pompa, frivolidade e distanciamento do cristianismo pregado pelo evangelho do cristianismo vivido pela igreja da época. Vale a pena a leitura só para conhecê-lo.
Para finalizar, quero falar de algo que ouvi muito enquanto lia: “Nossa esse livro é gigante (quase 2000 páginas)”, “Quero muito ler, mas é muito grande”. Sim ele é muito grande, é gigante, mas a história, a escrita, os personagens valem cada minuto “gasto”, cada página lida. Levei cerca de três meses para concluir a leitura, comecei a leitura em meados de Dezembro do ano passado, e terminei em meados de Março, pois esse livro, em minha opinião, deve ser lido com calma, aproveitando cada página.
Intercalar a leitura desse livro com outras mais leves e rápidas ajuda e muito, principalmente se você não gosta de ficar muito tempo lendo um livro só. Por exemplo, eu intercalei com: O Mágico de Oz; Quem é você, Alasca?; Cidades Mortas; As Aventuras de Pi; 2 volumes de Peanuts completo (1955 – 1956; 1957 – 1958); Dom Casmurro em Quadrinhos; 20 000 léguas submarinas em Quadrinhos; 12 trabalhos de Hercules em Quadrinhos; Frritt-Flacc e Chapeuzinho Amarelo. Então se você tem interesse em ler essa obra, não se assuste pelo tamanho, dê o pontapé inicial e boa leitura.

Caso queira comprar o livro, é só clicar no LINK, e se você comprar QUALQUER livro por esse link você ajuda o blog sem nenhum custo adicional. Beijos e até a próxima.

sexta-feira, 20 de março de 2015

Projeto 52 x 5 #12 - Coisas pra se fazer no frio:

OI, irei fazer hoje o TOP 5 da 12º semana do Projeto 52 x 5. E a categoria dessa semana é:


O que é bem difícil de fazer, pois onde moro o frio é muito raro.

1. Ler um bom livro na cama, bem enroladinha.



2. Beber algo quente (café, chá, leite)...



3. Assisti filmes ou séries, bem enroladinha.



4. Usar roupas quentes.




5. Dormir... bem enrolada.



Espero que tenham gostado. Beijos e até a próxima.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Citação - Harry Potter e as Relíquias da Morte (J. K. Rowling) #1

POR VIA DAS DÚVIDAS



- Eu não queria que você tivesse morrido - Harry disse, as palavras saindo involuntariamente. - Nenhum de vocês. Sinto muito...

Ele se dirigia mais a Lupin do que a qualquer dos demais, súplice.

- ... logo depois de ter tido um filho... Remo, sinto muito...

- Eu também sinto. Lamento que nunca chegarei a conhece-lo... mas ele saberá porque eu morri, e espero que entenda. Estive tentando construir um mundo em que ele pudesse viver uma vida mais feliz.




segunda-feira, 16 de março de 2015

Viajei com: Uma Longa Queda - Nick Hornby



SUPER Recomendo, desde já adianto que esse livro é daquele que faz você querer conhecer todos os trabalhos do escritor. O livro foi publicado em 2005.



Imagine a situação: sua vida está uma droga, de mal a pior, então você resolve se jogar do prédio mais alto de Londres (Topper’s House – famoso por ser a escolha de suicidas) na noite de Ano-Novo (data em que ocorre o maior número de suicídios) – as chances de não dar certo são grandes e é isso que acontece.
Martin um apresentador de TV que esteve preso por pedofilia está prestes a pular do Topper’s House é atrapalhado por Maurren, uma senhora de 51 anos – que está em depressão por não ter uma vida e ficar o tempo todo dedicada ao filho Matty, que possui uma grave deficiência. Enquanto eles estão tendo uma conversa pra lá de estranha sobre quem irá primeiro, surge Jess – uma jovem de 18 anos, totalmente “maluca”, sem-noção e com uma família problemática – gritando “Saia da frente, seus cretinos”. Enquanto Martin e Maurren tentam impedir Jess de pular, JJ – um ex-integrante de uma banda de rock chutado pela namorada, que se vê “condenado” a viver virando hambúrguer e entregar pizza, chega e pergunta “Alguém pediu pizza?”
O livro não é dividido por capítulo, sendo narrado pelo ponto de vista dos quatro personagens, o dá uma dinâmica muito legal ao livro, e nos permite saber a opinião de cada um sobre no desenrolar da história.
O foco principal da história é as desventuras e dificuldades que todos enfrentamos na vida. Nick trás um tema pesado e polêmico que é o suicídio de forma leve e divertida – levava o livro para o trabalho para ler durante o intervalo, e tinha de me controlar para não rir que nem uma louca na sala dos professores. Então não espere um final decisivo para a história, já que como está escrito na sinopse: “A continuidade da vida é apenas a continuação de uma história escrita todos os dias.”



Em 2014 a obra foi adaptada para o cinema, com direção de Pascal Chaumeil, e com Pierce Brosnan (Martin), Toni Collette (Maurren), Aaron Paul (JJ) e Imogen Poots (Jess). Minha opinião: o filme em si é legal, mas TOTALMENTE diferente do livro.



sexta-feira, 13 de março de 2015

Projeto 52 x 5 #11 - Meus brinquedos preferidos na infância eram:

Olá... Vamos a categoria da 11º semana:


Já adianto que quando criança gostava muito de brincar no quintal, fazer meus brinquedos, ler gibis, então não tenho um brinquedo em especifico.

1. Telefone: seja de madeira, seja de brinquedo. Lembro-me de um que ganhei da minha mãe, que era em formato de porquinho e o fio do telefone era o rabo dele, e tinha rodinha, quando puxava a corda para ele andar a boca abria e fechava, eu amava...

2. Bonecas, como minha mãe é costureira sempre tive muito retalho para brincar, então perdia horas fazendo roupas para minhas bonecas, tinha sacolas cheias de roupinhas.

3. Revista de passatempo.

4. Gibis, que hoje nem existem... eu não tinha muito cuidado com eles...

5. Meus ursinhos, guardo alguns até hoje, pois quero enfeitar minha estante com eles, quando tiver tudo organizado.


Bom é isso, beijos e até mais.

quarta-feira, 11 de março de 2015

LISTA - PROJETO LENDO O MUNDO (PLM)

OLÁ! Essa será a minha lista para o PROJETO LENDO O MUNDO. Caso queria saber mais sobre o projeto clique no link: PLM. Quem tiver alguma sugestão é só deixar nos comentários.

LISTA DO PLM (Atualizada em 01/01/2018)

PAÍS
LIVROS
T
L
P
Afeganistão
O caçador de pipas – K. Hosseini
X
X

África do Sul
Cotoco – John van de Ruit



Albânia
Abril despedaçado – Ismail Kadaré



Alemanha
Emil e os detetives – Erich Kastner



Andorra
O mestre de Queops – Albert Salvadó



Angola
Teoria geral do esquecimento – Agualusa



Anguila




Antígua e Barbuda
Lucy – Jamaica Kincaid



Arábia Saudita
Vida dupla – Rajaa al-Sanea



Argélia
O Atentado – Yasmina Khadra



Argentina
O jogo da amarelinha – Júlio Cortázar



Arménia




Aruba




Austrália
X
X
X
Áustria
Depois de Auschwitz – Eva Schloss



Azerbaijão
O livro de Dede Korkuti – Desconhecido



Bahamas
A glória do viver – Myles Munroe



Bahrein




Bangladesh
Uma era de ouro – Tahmina Anam



Barbados




Bélgica
Tintim – Herge
X
X

Belize




Benim
Rezar como o filho de um rei – Jean Pliya



Bermudas




Bielorrússia
Ébano – Ryszard Kapuscinski



Birmânia




Bolívia
Norte – Edmundo Paz Soldán



Bósnia e Herzegovina
O diário de Zlata – Zlata Filipovic



Botswana




Brasil
X
X
X
Brunei




Bulgária
O jogo dos olhos – Elias Canetti



Burkina Faso




Burundi




Butão




Cabo Verde
O testamento do Sr. Napumoceno – Germano



Camarões
Contornos dos dias que vem vindo – L. Miano



Camboja
A sombra da figueira – Vaddey Ratner



Canadá
X
X
X
Catar




Cazaquistão
Serguei Lukianesko



Chade




Chile
O Zorro – Isabel Allende



China
Viver – Yu Hua



Chipre




Colômbia
Cem anos de solidão – G. García Márquez



Comores




Congo




Coreia do Norte




Coreia do Sul
X
X
X
Costa do Marfim
Homens da África – Ahmadou Kourouma



Costa Rica
A folha de ar – Joaquin Gutiérrez



Croácia
Drago Stambuk, Josi Broz Tito, Nikola Tesla



Cuba
Por que ler os clássicos – Italo Calvino



Dinamarca
O menino da mala – Lene Kaaberbol



Djibouti




Dominica
Vasto mar de sargaços – Jean Rhys



Egito
Noites das mil e uma noites – Naguib Mahfaz



El Salvador
X
X
X
Emirados Árabes




Equador
Pablo Palacio



Eritreia
As consequências do amor – Sulaiman A.



Eslováquia
Sandor Marai



Eslovênia
Paloma negra – Miha Mazzini



Espanha
A sombra do vento – Carlos Zafon



Estados Unidos
X
X
X
Estónia
O louco de Czar – Jaan Kross



Etiópia
Sob o olhar do leão – Maaza Mengiste



Faixa de Gaza




Fiji




Filipinas
Ilustrado – Miguel Syjuco



Finlândia
Memoria da água – Emmi Itaranta



França
X
X
X
Gabão




Gâmbia




Gana




Geórgia




Granada




Grécia
Odisséia – Homero



Guatemala
O material humano – Rodrigo Rey Rosa



Guiana




Guiné
O menino negro – Camara Laye



Guiné Equatorial




Guiné-Bissau




Haiti
País sem chapéu – Dany Laferriere



Honduras




Hungria
Contos Húngaros – vários autores



Iémen/Iêmen




Ilhas Marshall




Ilhas Salomão




Índia
Sua resposta vale um bilhão – Vikas Swarup



Indonésia
Guerreiros da esperança – Andrea Hirata



Inglaterra
X
X
X
Irã
Os fios da fortuna – Anita Amirrezvani



Iraque




Irlanda
X
X
X
Islândia
O segredo do lago – Arnaldur Indridason



Israel
X
X
X
Itália
O nome da rosa – Umberto Eco



Jamaica




Japão
Após o anoitecer – Murakami



Jibuti




Jordânia




Kiribati




Kuwait




Laos




Lesoto




Letônia




Líbano
Eu matei Sherazade – Joumana Haddad



Libéria
Minha casa do outro lado do Atlântico – H. C.



Líbia
No país dos homens – Hisham Matar



Liechtenstein
Sete anos no Tibet – Heinrich Harrer



Lituânia




Luxemburgo




Macedónia
A irmã de Freud – Goce Smilevski



Madagáscar
Os 7 crimes de Roma – Guilherme Prevest



Malásia




Malawi




Maldivas




Mali
Amkoullel, o menino fula – Amadou Hampâté Bâ



Malta




Marrocos
Felicidade conjugal – Taher Bem Jelloun



Maurícia




Mauritânia




México
Festa no covil – Juan Pablo Villalobos



Micronésia




Moçambique
A confissão da leoa – Mia Couto



Moldávia




Mónaco




Mongólia




Montenegro




Myanmar




Namíbia




Nauru




Nepal




Nicarágua
A oficina das borboletas – Gioconda Belli



Níger




Nigéria
X
X
X
Noruega
O Dia do Coringa – Josten Gaarden



Nova Zelândia
A filha da floresta – Juliet Marillier



Omã
Em honra de Fadime – Unni Wikan



Países Baixos
Cartas a Théo – van Gogh



Palau




Panamá




Papua-Nova Guiné




Paquistão
X
X
X
Paraguai
Eu o supremo – Augusto Roa Bastos



Peru
A Tentação do Impossível – Vargas Llosa



Polónia
47 contos de Issac Singer



Portugal
X
X
Quênia
Série Tudor – Philippa Gregor



Quirguistão




Reino Unido
A ilha do tesouro – Robert Stevenson



República Centro-Africana




República Checa
O Castelo – Franz Kafka



República do Congo
Irmã-estrela – Alain Mabanckou



República Dominicana
Em nome de Salomé – Julia Alvarez



Roménia
O rei se inclina e mata – Herta Muller



Ruanda
Gostaria de informa-lo – Philip Gourevitch



Rússia
X
X
X
Samoa




Santa Lúcia
Omeros – Derek Walcott



São Cristóvão e Nevis
Dançando no escuro – Carly Phillips



São Marino




São Tomé
Aromas de cajá-manga – Olinda Beja



São Vicente
Júlia – Nº 1371 – Marcia King Gamble



Senegal
A vida em espiral – Abasse Ndione



Serra Leoa
Muito longe de casa – Ishmael Beah



Sérvia
O ultimo livro – Zoran Zivkovic



Seychelles




Singapura




Síria
Historia da noite – Rafik Schami



Somália
Mapas – Nuruddin Farah



Sri Lanka
A caixa de granadilho – Janet Gleeson



Suazilândia




Sudão
Tempo de migrar para o norte – Tayeb Salih



Sudão do Sul




Suécia
Trilogia Millenium – Stieg Larsson



Suíça
Os inomináveis – Hansjorg Schertenleib



Suriname




Tailândia




Tajiquistão




Tanzânia




Timor-Leste
Réquiem para um navegador solitário – Luis Cardoso



Togo




Tonga




Trinidad e Tobago
Uma curva no rio – V. S. Naipaul



Tunísia
A doença do Isla – Abdelwahab Meddeb



Turquemenistão




Turquia
Meu nome é vermelho – Orham Pamuk



Tuvalu




Ucrânia
Capote e outras histórias – Nikolai Gogol



Uganda




Uruguai
Histórias de Paris – Mario Benedetti



Uzbequistão




Vanuatu




Venezuela
Dona Barbara – Romulo Gallegos



Vietname
O príncipe dragão – Thich Nhat Hanh



Zâmbia
Assando bolos em Kigoli – Gaile Parkin



Zimbabwe





T – Tenho
L – Lido
P – Post

ACEITO SUGESTÕES. Beijos e até a próxima.